domingo, 28 de outubro de 2012

CAFÉ LUMIÈRE - 2003

Kôhî jikô, 2003
Legendado, Hou Hsiao-hsien
Formato: AVI

Aúdio: Japonês
Legendas: Português
Duração: 100 minutos
Tamanho: 990 Mb
Servidor: 1Fichier (Parte única)


SINOPSE

Yoko, escritora free-lancer que dá aulas de japonês em Taiwan, volta ao Japão e reencontra seu amigo, Hajime, dono de um sebo de livros e apaixonado por trens. Hajime a ajuda em uma pesquisa musical. Além disso, Yoko busca renovar seus elos familiares. Decide visitar seu pai e sua madastra, e lá anuncia que está grávida e que pretende criar o bebê sozinha.
Fonte: Cineplayers


ANÁLISE
O cinema ainda tem o seu encanto.
por Rodrigo Laurentino
Nos primórdios do cinema, os irmãos Lumière, tidos como os inventores do cinema, registravam com o cinematógrafo, em documentos de um minuto, o cotidiano da cidade e o movimento das pessoas que nela viviam, tal como o sair dos trabalhadores de uma fábrica, a chegada de um trem à estação ou o simples observar de um bebê sendo alimentado. Anos depois, com o cinema ainda em formação, o cineasta japonês Yasujiro Ozu construiu toda uma filmografia calcada em um olhar que extraía da rotina, do comum, reflexões sobre a passagem do tempo na sociedade e na família. Nos recentes anos, com o cinema tendo passando por inúmeras transformações e atingindo uma enorme complexidade de estilos e produções que por vezes prende o registro mundano da vida em um invólucro artificial, Hou Hsiao-hsien surgiu com um cinema singular que observa não só o individuo, mas também as relações dele com o mundo e a do mundo com o tempo, numa áurea que flui independentemente das vontades do cineasta e do seu público.

Café Lumière é justamente um aceno para essas três propostas bem particulares de se fazer cinema que, centradas em períodos distintos, possuem olhares que dialogam entre si. Com uma homenagem encomendada ao centenário de nascimento de Ozu, Hou Hsiao-hsien realizou aqui mais do que simples tributo ao cineasta japonês, ele celebrou a mais antiga forma que o cinema emula a vida, àquela que não manipula uma realidade, mas que apenas a acompanha sem interferir. E é o cinema de Ozu que Hou usa como base para abrir um diálogo com o cinema de hoje e de antes, através de referências temáticas e estéticas que fogem da emulação e criam uma ambiência onde o registro dos acontecimentos decorre organicamente, e que, não abandonando as suas particularidades, funde o seu olhar com o do homenageado e faz surgir uma obra singular, até mesmo para a sua filmografia.

Minimalista em sua narrativa (ainda mais que nos filmes de Ozu, onde o autor preconizava o mínimo das ações), em uma análise descuidada o filme pode não dizer nada, mas é nos pequenos detalhes, momentos e ações que Café Lumière pulsa com a vida que emana em cada fotograma. Iniciando com a recém-chegada de Yoko em sua casa, no Japão, após mais uma das suas fugazes idas a Taiwan, o filme acompanha a sua vida durante um período fortuito de tempo, onde os mínimos acontecimentos são registrados com leves movimentos de câmera que marcar a atenção do espectador com o cuidado de alguém que calmamente nos guia em meios de objetos, ambientes e lugares com que a personagem se relaciona. E no observar dos instantes fragmentos da vida de Yoko, mergulhamos em uma parte da história do cinema.

Continue lendo no site Ovo de Fantasma







 


6 comentários:

  1. Olá!
    Tentei baixar este filme, porém ao descompactar ocorre algum erro com as partes 3 e 4. Mais cedo baixei Acossado, de Godard, e nesse caso todas as partes vieram com defeito. Se forem possíveis os reparos...
    No mais, deixo meu eterno agradecimento por todas maravilhas que colho aqui.
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viktor, vou baixar os dois filmes. Mas peço que verifique se todos os arquivos foram baixados integralmente, pois o Zippyshare não tem a mesma estabilidade do Mediafire.

      Att.,
      Hilarius

      Excluir
    2. Viktor,

      baixei todas as partes do filme "Café Lumière": não houve problema no download das partes nem na extração dos arquivos.

      Já em relação ao filme "Acossado", não consegui sequer baixar as partes. Dessa forma, irei reupar os arquivos. Peço que aguarde.

      Att.,
      Hilarius

      Excluir
    3. Viktor,

      tenta extrair os arquivos usando o 7zip (http://www.baixaki.com.br/download/7-zip.htm). Pode ser que apaereça alguma mensagem de erro, mas se o arquivo estiver com os 699 Mb completos, você consiguirar assistir o filme normalmente.

      Abraço,
      Laurentino.

      Excluir
  2. Oi , acho o blog muito foda e sempre passo por aki. As partes 3 e 4 tão dificil de baixar alias facil demais, sempre termina muito rapido com um tamanho bem menor, se o problema for resolvido ficaria agradecido o filme parece ser bom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pablo, consegui baixar normalmente todas as partes do filme: primeiro, fiz o download com a minha conta, em seguida, fiz o cadastro como usuário avulso. Em ambos os casos consegui baixar normalmente os arquivos e com excelente taxa de transferência, e baixei enquanto estava upando um outro filme para o blog.

      Peço que você baixe novamente os arquivos e verifique a taxa de transferência, além de verificar se todos os arquivos foram baixados corretamente. Se tiver problemas na extração, sugiro que você baixe o programa 7zip como o Laurentino pediu.

      Att.,
      Hilarius

      Excluir

Política de moderação do comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários. Dessa forma, o Convergência Cinéfila reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética, ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Para a boa convivência, o Convergência Cinéfila formulou algumas regras:
Comentários sobre assuntos que não dizem respeito ao filme postado poderão ser excluídos;
Comentários com links serão automaticamente excluídos;
Os pedidos de filmes devem ser feitos no chatbox.

Att.,
Convergência Cinéfila