quinta-feira, 13 de março de 2014

O SANATÓRIO DE CLEPSIDRA - 1973

Sanatorium pod klepsydra, 1973

Legendado, Wojciech Has

Formato: AVI
Áudio: polonês
Legendas: português
Duração: 124 min.
Tamanho: 1,36 GB
Servidor: 1fichier (Parte única)

LINK

SINOPSE
Józef (Jan Nowicki), viaja de comboio até ao sanatório onde o seu pai está internado, na Polónia antes da II Guerra Mundial. Ao chegar, sente estar num mundo diferente, onde o tempo pode voltar para trás. Józef é assim levado numa viagem interior, onde memórias e fantasias se misturam. Desse modo redescobre os seus pais, com quem conversa de novo, vê imagens da história com soldados coloniais, convive com judeus da sua cultura, nos ghettos onde cresceu, assiste a discussões teóricas, observa a política do seu tempo através de bonecos de cera, e revive episódios do seu passado, envolvendo as raparigas que amou.

The Internet Movie Database: IMDB - NOTA IMDB: 7.8


ANÁLISE

Wojciech Jerzy Has foi um prolífico realizador polaco, que escapou à tradição de filmes políticos do seu período, preferindo dedicar-se a temas psicológicos e abstractos. Exemplo são os seus filmes de cariz surrealista como “Sanatorium pod Klepsydra”, que em Portugal passou apenas na televisão como “Sanatório Clepsidra”.
No sanatório que dá nome ao filme, como nos é explicado logo no início pelo médico residente, o tempo não passa como lá fora. De facto, pode retroceder sempre que queiramos, o que é testemunhado pelo personagem principal Józef (Jan Nowicki), quando após a sua chegada, pode, através de uma janela, ver-se no exterior ainda a chegar. Essa peculiaridade temporal é o mote para as viagens ao passado de Józef, feitas de um modo perfeitamente caótico.
Mais que viajar para o passado, Józef experimenta um misto de fantasia e reminiscência, que o conduz aleatoriamente de sala em sala, de pensamento em pensamento, de episódio em episódio. Sem o controlar Józef vê-se interpelado pelas mais estranhas personagens, que surgem e desaparecem como fantasmas da sua imaginação. Do mesmo modo, vê-se transportado de um para outro cenário sem qualquer explicação lógica, e pelos meios mais insólitos, como seja passar por de baixo de uma cama, e surgir num jardim do sanatório.
Se no início Józef tem como único objectivo inteirar-se do estado de saúde do seu pai, estranhando a decadência do edifício, logo passa a aceitar aquela realidade fantasiosa, interagindo com os restantes personagens de modo natural. É assim que encontra o seu pai, de boa saúde, em diferentes contextos, redescobre a sua mãe, participa em discussões com o médico e um ornitólogo, tenta fazer sentido do seu mundo através de um livro de selos de uma criança, assiste a batalhas coloniais e participa em discussões de política, onde os personagens são bonecos de cera. Józef redescobre ainda pessoas do seu passado, como os judeus do ghetto onde cresceu, as raparigas que amou, amigos de infância.
Tudo isto acontece numa mansão onde o tempo e o espaço não têm relevância. Cada porta pode, de cada vez que aberta, levar a um local diferente, exteriores e interiores confundem-se, e para passar de um local a outro, tanto se pode passar por debaixo de uma cama, subindo uma escada, ou afastando umas cortinas.


Screenshots

3 comentários:

  1. Consegui fazer o download certinho, mas o filme está sem a legenda

    ResponderExcluir
  2. Bom dia. Será que podiam upar novamente a 2 e 3 parte? estão off...

    desde já agradeço

    ResponderExcluir

Política de moderação do comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários. Dessa forma, o Convergência Cinéfila reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética, ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Para a boa convivência, o Convergência Cinéfila formulou algumas regras:
Comentários sobre assuntos que não dizem respeito ao filme postado poderão ser excluídos;
Comentários com links serão automaticamente excluídos;
Os pedidos de filmes devem ser feitos no chatbox.

Att.,
Convergência Cinéfila