quarta-feira, 24 de agosto de 2016

AMOR À FLOR DA PELE - 2000

Fa yeung nin wa, 2000
Legendado, Kar-Wai Wong
Clique na imagem para ver o trailer

Formato: mkv
Áudio: cantonês/shanghainese (Wu language)/francês
Legendas: português
Duração: 1h 38min.
Tamanho: 987 Mb
Servidor: Uplea (Parte única)

LINK - NOVO LINK

SINOPSE
Chow Mo-Wan (Tony Leung), editor de um jornal, se muda com sua mulher para um novo prédio. Quase ao mesmo tempo, Su Li-Zhen (Maggie Cheung), uma linda secretária, e seu marido, um executivo, também se mudam para o mesmo edifício. Com seus companheiros frequentemente viajando a trabalho, Chow e Li-Zhen passam quase todo tempo juntos, como bons amigos. Eles têm muito em comum, desde compras até artes marciais. Logo, ficam chocados ao descobrir que seus companheiros estão tendo um caso. Machucados e irritados, encontram conforto em sua crescente amizade, mesmo quando resolvem não fazer o que os dois infiéis fizeram.

Fonte: Filmow
The internet movie database: IMDB - NOTA IMDB: 8.1

ANÁLISE

"Viver essa vida é mais um lembrar-se indireto
dela do que um viver direto. Parece uma
convalescença macia de algo que no entanto
poderia ter sido absolutamente terrível"
Clarice Lispector, Água Viva

Amor à Flor da Pele é estupendo. Esse que muitos críticos têm considerado o melhor trabalho de Wong Kar-wai é, talvez, o mais belo filme do ano. Um dos mais proeminentes diretores de Hong Kong, Wong conseguir criar uma obra delicada e arrebatadora, em que mais uma vez faz, de maneira exemplar, o universal emergir do particular.

Hong Kong, 1962: época de mudanças – a Revolução Cultural na China mexeu com a vida de muitas famílias (a de Wong, por exemplo, saiu de Xangai nesse período), e o inchaço populacional combinado à situação econômica do lugar fez com que muitas pessoas precisassem alugar quartos em casas de outrem. E é justamente em torno de dois casais que sublocam quartos em apartamentos vizinhos que é construído Amor à Flor da Pele: umlove affair entre dois dos cônjuges acaba por aproximar as partes traídas, no caso a sra Chan (Maggie Cheung, divina), uma secretária, e o sr Chow Mo-wan (Tony Leung, maravilhoso), um jornalista.

A atmosfera que paira sobre os lugares que eles freqüentam já é um bocado concupiscente, e isso se nos aparece nas relações que travam em seus empregos: Su Li-zhen (a sra Chan) ajuda o chefe a driblar a esposa para que este consiga se encontrar com a amante (em um momento, inclusive, quando encarregada de comprar presentes para ambas, diz que podem ser a mesma coisa, já que não faz mesmo diferença – triste ironia, pois que são exatamente duas bolsas iguais o motivo que a faz ter certeza da traição do marido); o maior amigo do sr Chow, Ping, por sua vez, arma planos mirabolantes para conseguir se encontrar com uma mulher casada e é capaz de dar calote em um lupanar.
Su Li-zhen e Mo-wan começam a travar contato por causa de sua desconfiança: o homem convida a bela vizinha para um café de modo a tentar descobrir algo e eles, juntos, acabam por ter certeza de que estão sendo traídos. A partir daí, desde que os amantes estão viajando, os dois começam a passar cada vez mais tempo juntos e o que era formalidade acaba dando lugar a sentimentos profundos porém contidos: "Não seremos iguais a eles" diz a sra Chan em determinado momento ao sr Chow, claramente refreando seu amor por não querer repetir os atos de seu marido.

Continue lendo em Contracampo

Screenshots

4 comentários:

  1. - LInk com erro---Invalid Link (error 4205)

    ResponderExcluir
  2. De fato, com erro. Seria possível corrigi-lo? Muito grato!

    ResponderExcluir
  3. Claro que sim!

    Amanhã faço um repost do filme.

    Valeu pelo feedback.

    ResponderExcluir
  4. Sem dúvida a obra-prima de Wong Kar-Wai, nunca o amor foi tão lírico e sensual, somente ele consegue expressar o amor pulsante, mas intocável. Nessa obra idealiza e desconstrói tudo aquilo que pensamos ser amor. Mas tudo isso, o diretor só consegue com as brilhantes (clichê, eu sei, mas é o melhor adjetivo) atuações do seu casal de protagonistas.
    Obrigada pela disponibilização da obra e pelo excelente trabalho.

    ResponderExcluir

Política de moderação do comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários. Dessa forma, o Convergência Cinéfila reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética, ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Para a boa convivência, o Convergência Cinéfila formulou algumas regras:
Comentários sobre assuntos que não dizem respeito ao filme postado poderão ser excluídos;
Comentários com links serão automaticamente excluídos;
Os pedidos de filmes devem ser feitos no chatbox.

Att.,
Convergência Cinéfila