terça-feira, 5 de agosto de 2014

TESTEMUNHA DE ACUSAÇÃO - 1957

Witness for the Prosecution, 1957
Legendado, Billy Wilder

Formato: AVI 
Áudio: inglês/alemão
Legendas: Pt-Br
Duração: 116 minutos
Tamanho: 700 MB
Servidor: Mega (Parte única)

LINK
Parte única

SINOPSE
Quando Leonard Vole (Tyrone Power) é preso sob a acusação de ter assassinado uma rica viúva de meia-idade, Sir Wilfrid Robarts (Charles Laughton), um veterano e astuto advogado, concorda em defendê-lo. Sir Wilfrid está se recuperando de um ataque do coração quase fatal e "supostamente" está em uma dieta, que o proíbe de ingerir bebidas alcoólicas e de se envolver em casos complicados. Mas a atração pelas cortes criminais é algo muito forte para ele, especialmente quando o caso é bem difícil. O único álibi de Vole é o testemunho da sua esposa, Christine Vole (Marlene Dietrich), uma mulher fria e calculista. A tarefa de Sir Wilfrid fica praticamente impossível quando Christine Vole concorda em ser testemunha, não da defesa, mas da acusação.

Fonte: Adorocinema
The internet movie database: IMDB - NOTA IMDB: 8.5


ANÁLISE

Uma obra-prima do sub-gênero tribunal. Um dos grandes acertos de Billy Wilder.

Um estilo de filme e história que sempre me fascinou foi o de tribunal, onde o advogado tem que usar de recursos muitas vezes simples, mas inteligentes, para livrar (ou condenar) alguém. Esse tipo de argumento também serviu para alguns autores fazerem grandes livros a partir de importantes fatos reais que conhecemos. Muitos bons diretores já nos trouxeram grandes filmes com esse tema. Bons exemplos são 12 Homens e Uma Sentença, onde o personagem vivido por Henry Fonda é um jurado que tem de convencer os outros onze de que uma pessoa é inocente, sendo que somente ele está convicto disso.

Billy Wilder

Outra boa história e que nos traz um personagem carismático, interpretado com maestria por Gregory Peck, é O Sol é Para Todos, de Robert Mulligan, onde o personagem de Peck se vê obrigado a defender um negro da acusação de assassinato em uma sociedade totalmente preconceituosa. O filme em questão aqui é Testemunha de Acusação. Obra baseada em um conto de Agatha Christie e levada às telas pelo ótimo diretor Billy Wilder (do também excelente Crepúsculo dos Deuses). Nessa película ele demonstra uma direção afinada, ajudada pelos personagens muito bem escritos e interpretados e um suspense digno de poder fazer o filme ser chamado clássico.

A história original é na verdade somente um pequeno conto da escritora Agatha Christie, que já é famosa por ter vários de seus livros filmados. E esse, na minha opinião, é o melhor de todos eles. Ele nos conta a história do advogado que, recém chegado do hospital após passar vários dias internado, recebe uma visita especial, e acaba se vendo envolvido novamente em um caso de tribunal, mesmo sendo contrariado pelos médicos e pela sua enfermeira e acompanhante, brilhantemente interpretada pela atriz Elsa Lanchester, que não desgruda de seu pé.


Esse advogado, interpretado por Charles Laughton (de O Grande Motim), é Sir Wilfrid Roberts, um dos mais afamados criminalistas da cidade. Todos os "casos perdidos" são enviados para ele, que tem a fama de transformá-los em "casos vencidos". Após um certo tempo no hospital, estando de volta ao consultório e sendo aconselhado pelos médicos a somente pegar casos leves, ele se depara com um caso que não poderá deixar de pegar: um homem (Tyrone Power), que é acusado de ter assassinado uma viúva para obter dela suas riquezas, entra em sua sala e pede que ele lhe ajude. Wilfrid não aceita pegar o caso de primeira, entregando-o para o seu parceiro, o advogado Brogan-Moore (John Williams). Após conhecer a bela e misteriosa Christine Helm Vole (que nos é trazida com brilhante interpretação pela competente atriz Marlene Dietrich), finalmente ele resolve assumir o caso, tomando o lugar de Brogan-Moore para ajudar a moça a livrar o seu marido.

A partir desse ponto prefiro não mais comentar o que vem a acontecer no desenrolar da trama, pois brilhantemente somos presenteados com muitas reviravoltas (às quais algumas foram adicionadas à história original de Christie) e diálogos fervorosos, deixando o espectador grudado na cadeira ou no sofá, torcendo para que se descubra logo a verdade. Confesso que não desconfiava do desfecho em nenhum momento do filme e acho que você, leitor, também não conseguirá adivinhar.

Continue lendo em Cineplayers

Screenshots




























3 comentários:

  1. Boa noite, porque veio sem legenda? O que posso ter feito errado?

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigada por ter postado este filme. Adoro filmes clássicos.

    ResponderExcluir

Política de moderação do comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários. Dessa forma, o Convergência Cinéfila reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética, ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Para a boa convivência, o Convergência Cinéfila formulou algumas regras:
Comentários sobre assuntos que não dizem respeito ao filme postado poderão ser excluídos;
Comentários com links serão automaticamente excluídos;
Os pedidos de filmes devem ser feitos no chatbox.

Att.,
Convergência Cinéfila