domingo, 21 de outubro de 2012

ALPES - 2011

Alpeis, 2011
Legendado, Yorgos Lanthimos

Formato: mkv
Aúdio: Grego
Legenda: Português
Duração: 90 minutos
Tamanho: 1,35 GB
Servidor: Mega (Parte única)


SINOPSE
Uma enfermeira, um paramédico, uma atleta de ginástica rítmica e o seu treinador criam um grupo chamado Alpes onde substituem pessoas mortas quando recrutadas pelos amigos e família do falecido.


ANÁLISE

Dos pequenos picos molares de DENTE CANINO aos velhos montes dos ALPES, você tem que entender o quão é afiado, áspero e rugoso o comportamento humano dito pela “poesia” de Yorgos Lanthimos. No primeiro, uma família defende morbidamente sua unidade nuclear da corrupção do mundo exterior. No segundo, um grupo de pessoas penetra essas famílias para protegê-los do impacto e da dor.
 Há uma espécie de teste social por trás destes filmes, uma tentativa de contar histórias de cobaias chamadas para experimentar a possibilidade de preservar o homem diante de sua própria natureza. Um projeto ousado enquanto historia, enquanto filme. De fato, ALPES – o drama, a ficção, o cinema – diverge na forma como aborda essa dor forasteira. “Qual foi o seu ator favorito?” pergunta insistentemente os quatro especialistas aos parentes do morto, como para entender qual dimensão o ator precisa dar nesse script familiar, pré-determinado. Os quatro “Alpes” tornam-se assim apenas quatro atores que trabalham o corpo em linguagem programada para recitar mecanicamente suas funções. Robôs em busca de identidade e desempenhos perfeito, que pode aliviar a (sua própria) angústia dos outros.

Com um estilo muito perto dos cânones do cinema europeu (cenas escuras, fora de quadro e foco), o diretor confirma que sua idéia grega de cinema não é mero passatempo para fugir dos problemas do mundo, mas um “método (ficção) científico”, onde fantasia e realidade tornam-se as ferramentas adequadas para estudar os transtornos de identidade e comportamento social. Qualquer situação e qualquer medida são infinitamente contestáveis. Mas o mesmo não pode ser dito da dinâmica dos afetos. Um filme desconcertante doa a quem doer.



 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Política de moderação do comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários. Dessa forma, o Convergência Cinéfila reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética, ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Para a boa convivência, o Convergência Cinéfila formulou algumas regras:
Comentários sobre assuntos que não dizem respeito ao filme postado poderão ser excluídos;
Comentários com links serão automaticamente excluídos;
Os pedidos de filmes devem ser feitos no chatbox.

Att.,
Convergência Cinéfila