segunda-feira, 16 de junho de 2014

O SONHO DE WADJDA - 2012

Wadjda, 2012
Legendado, Haifaa Al-Mansour
Classificação: Excelente

Formato: AVI
Áudio: árabe
Legendas: Pt-Br
Duração: 98 min
Tamanho: 706 MB
Servidor: 1Fichier (Parte única)

LINK
Parte única

SINOPSE
Wadjda tem dez anos de idade, e mora no subúrbio de Riade, a capital da Arábia Saudita. Ela é uma garota teimosa e cheia de vida, que gosta de brincar com os garotos. Um dia, após uma disputa com o amigo Abdullah, ela vê uma bela bicicleta verde à venda. Wadjda gostaria de comprar a bicicleta, para superar o colega em uma corrida, mas na sociedade conservadora onde vivem, garotas não podem dirigir carros ou bicicletas. Ela decide então fazer de tudo para conseguir o dinheiro sozinha.

Fonte: Adorocinema
The Internet Movie Database: IMDB - NOTA IMDB: 7.7


ANÁLISE
Um grito feminista de liberdade

Acredito que muitos devem saber que na Arábia Saudita a vida da mulher não é nada fácil, seja pelos dogmas religiosos ou mesmo pelas heranças culturais de anos daquele povo, no entanto com a pequena mas expressiva globalização chegando por lá. Os jovens e principalmente as mulheres começam a notar que existe um mundo enorme a ser explorado e que é bem diferente do que eles estão acostumados.
 Haifaa Al-Monsour
Haifaa Al Mansour é uma dessas mulheres que puderam conhecer outras culturas e perceber que vale a pena lutar pelo sonho, seja ele qual for. Ela é a diretora do filme, o primeiro longa-metragem produzido por uma mulher no país, então imagina o quanto essa mulher teve que enfrentar para conseguir finalizar essa produção, que por si só, vemos que ter o filme pronto, retrata o próprio sonho da diretora.
Sim porque podemos dizer que Wadjda é o alterego de Mansour, uma menina de 12 anos que mora no subúrbio da capital da Arábia Saudita, tem uma personalidade forte, é determinada, cheia de sonhos e esperta.
Após uma brincadeira com seu amigo Abdullah, ela se encanta por uma bicicleta e diz que ainda vai ter uma para disputar com ele uma corrida, um único detalhe, no Arábia Saudita mulheres não podem andar de bicicleta. Então para que ela sua tão cobiçada bicicleta, ela terá que ganhar um concurso sobre o Alcorão na escola onde estuda.
Durante esse tempo em que tenta aumentar o dinheiro que guarda e estudar a religião para o concurso, começa a ver quantas limitações são impostas as mulheres sem uma grande explicação para o fato.
O roteiro também de Mansour, desenvolve essa trama de forma bem previsível, mas usa a doçura de Waad Mohammed que faz a Wadjda como arma para conquistar o público.
Veja que em meio a trama central há espaço para um grande protesto social, principalmente em relação ao modo como as mulheres vivem na sociedade saudita.
Ela ainda mostra um pouco de religião, o conflito de culturas, levemente aborda o homossexualismo feminino e isso acaba sendo o grande chamariz para o filme, já que a trama principal acaba perdendo a força diante desses detalhes que são tão fora de nossa realidade, isso fica ainda mais forte quando é detalhado alguns costumes culturais, inimagináveis em nossa sociedade ocidental.
Além do roteiro fraco outro problema é na direção e montagem do longa, que perdem a mão no ritmo do filme. A narrativa não é fluida e linear, tem umas mudanças bruscas de enfoque, o que atrapalha no envolvimento da trama, repetindo, o que acaba dando mais destaque para os detalhes dos costumes locais.
No entanto o elenco principalmente o mirim é o ponto alto do filme, Waad Mohammed leva o filme de forma maravilhosa, a trama é 100% focada em sua personagem e a garota consegue levar de forma perfeita essa atrevida garota que não tem papa na língua e que vai em busca de seus objetivos seja como for. Seu amigo Abdallah, vivido por Abdullhman al Gohani é outro garoto extremamente carismático, que consegue logo que aparece na tela conquistar a plateia.
O Sonho de Wadjda é um filme inspirador, emocionante, e mais importante, consegue despertar no público o desejo de nunca desistir do sonho. Então inspire-se nessa obra que é muito mais importante pela sua representação do que pela obra cinematográfica em si.

Análise retirada do site Ccine10

Screenshots

































































Um comentário:

  1. Não é um filme original, seu tema já foi explorado por diretores mais talentosos. Mas consegue ser simpático e muito se deve ao seu elenco. Existe aqui um choque entre culturas mas com um tratamento mas delicado. É difícil não sentir empatia pela sua personagem que vive numa sociedade machista indiferente aos costumes de outras culturas.Valeu pela postagem e um grande abraço!

    ResponderExcluir

Política de moderação do comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários. Dessa forma, o Convergência Cinéfila reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética, ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Para a boa convivência, o Convergência Cinéfila formulou algumas regras:
Comentários sobre assuntos que não dizem respeito ao filme postado poderão ser excluídos;
Comentários com links serão automaticamente excluídos;
Os pedidos de filmes devem ser feitos no chatbox.

Att.,
Convergência Cinéfila